1950 a 1957 – Parte I

 

 

                                Foram os anos que antecederam ao início da indústria automobilística nacional. O primeiro carro “Made in Brazil” saiu das linhas de montagem em 1956, mas era ainda muito pequena a produção.
                                  Até 1957, então, circulavam pelas ruas e estradas desse nosso imenso país exclusivamente carros importados. Eram para poucos, é certo, mas faziam a cabeça e os sonhos dos que, de alguma maneira, podiam sonhar em tê-los.
                                Dedico este post aos da minha geração que poderão relembrar os velhos anos dourados e aos jovens de hoje para que vejam como eram as coisas nos tempos de seus avós. As fotos procurei na internet de carros daquela época em seus estado atual depois de devidamente restaurados, a maioria deles nos EEUU onde existem em maior quantidade. Vamos a elas.

FORD-51_crop

                                     Eis na foto acima obtida no “www.blog do Cariocadorio” um Ford Custom 1951. Era um dos carros mais populares da época pois foi importado em grande quantidade. O motor era um V8 “flat head” (com válvulas laterais e cabeçote plano) típico da Ford na época e desenvolvia 100 hp, muito potente . Tinha ótima aceleração. Nem pensar em direção hidráulica e freios assistidos, coisas que nem existiam em 1951. O câmbio era de três marchas com “over-drive” opcional e a alavanca ficava na coluna de direção. O fato de ter os paralamas totalmente integrados à carroceria era considerado moderníssimo, uma tendência que a Ford havia lançado no modelo 1949, quase igual, mas que as outras marcas ainda demoraram um pouco para acompanhar.

51-Ford-Custom-Deluxe-Vic-Hardtop-DV-09_GG_02

                                   A versão topo de linha do Ford ’51 era a Victoria vista na foto acima  retirada de “Conceptcarz.com”. Esta era bem mais rara e cara, mas de inegável beleza e esportividade.

ch1951Belair

                                     Acima o Chevrolet Belair 1951 (www.velocityjournal.com) concorrente direto do Ford Victoria. Aqui no Brasil, no entanto, foi muito mais popular. Havia muitos destes carros circulando apesar de seu preço ser bem maior do que o do sedan. Era muito bonito. Tinha um motor de seis cilindros em linha com válvulas no cabeçote, 92 hp, cujo forte não era o desempenho. O câmbio podia ser manual de três marchas ou automático Powerglide. O Powerglide era um tipo de câmbio automático que a GM desenvolveu para serviço pesado durante a guerra baseado em conversores fluidos de torção de extrema suavidade de funcionamento e que resolveu adptar para uso automotivo em 1948 lançando na linha Buick com o nome de Dynaflow e na linha Chevrolet (em 1950) com o nome de Powerglide. Este sistema diferia muito do Hydramatic que originou as transmissões automáticas convencionais e hoje só é usado para serviço pesado

????

                                   Outro carro muito comum era o Dodge Kingsway e seus irmãos gêmeos o Plymouth e o De Soto. Na foto acima (blog.estadao.com.br) vemos a versão perua de 1951. Foi uma das primeiras peruas construídas totalmente em aço lançadas pela indústria americana e fez muito sucesso em nosso mercado. Anteriormente as peruas eram quase sempre construídas em madeira, as “woodies”. Esta Dodge tinha um motor seis cilindros em linha e um câmbio manual de três marchas com alavanca na coluna de direção.

51_Packard-200_DV-10-RMM_01

                                      Entre os modelos de luxo que circulavam por aqui estava o Packard 1951 como este da foto acima (www.comceptcarz.com). Era muito grande esse carro e não primava pela beleza de linhas, tão pouco pela exuberância de seu motor oito cilindros em linha com válvulas no cabeçote que desenvolvia 155 hp, muito para e época pouco para o peso do carro. O câmbio em geral era manual de três marchas, mas podia ser automático opcionalmente.

51lincoln

                                       Este era o Lincoln 1951, o carro de luxo da Ford. Parecia tão pesado que jamais sairia do lugar, mas com seu “vêoitão” de 155 hp até que desempehava bem para a época. Sem exageros. Era carro para quem curtia mais o luxo e o conforto.

1951_Buick_Eight_Sedan

                                    Este Buick Roadmaster 1951 fazia sucesso (cury.net.com). Era de uma suavidade ao rodar impressionante. Sua suspensão calibrada para o conforto aliada a seu câmbio automático Dynaflow faziam dele um campeão de conforto. O motor era um oito em linha com válvulas no cabeçote de 152 hp.

buick                     
                                    Este é um modelo de 1950 do Buick Riviera (desertgardenscars.com.br). Esta grade avançando sobre o parachoques era impressionante, mas não agradou muito tanto quem o modelo ’51 como vimos acima já a havia abolido.

Oldsmobile%20Super%2088%201952%20av

 Oldsmobile%20Super%2088%201952%20ar

                                  Oldsmobile Super 88 de 1952 (www.forum.auto.com). Deste auto coloco duas fotos porque ele tem especial significado para mim. Foi num destes, bem igual, que eu aprendi a dirigir e nele dirigi por muitos anos. Há vários posts aqui em meu blog com “Histórias do velho Oldsmobile”, pois o velho Oldsmobile era exatamente assim, só mudava a cor. Esse carro era um portento para sua época. Tinha um motor V8 com válvulas no cabeçote o chamado motor Rockett, precursor dos famosos V8 que equiparam os carros americanos nas décadas seguintes. Com seu carburador de quatro corpos desenvolvia 160 hp que aliados ao câmbio automático de quatro marchas, único na época, dava-lhe um poder de aceleração fantástico. Era imbatível e eu me diverti muito com ele naqueles anos. Exageradamente cheio de cromados não era um carro bonito.

Mercury%201951%20$%2018

                                     Acima um Mercury 1951, também bastante popular por aqui naqueles tempos. O motor era quase igual ao do Ford, um pouco mais potente o que fazia dele um bom adversário. O modelo top de linha da Mercury era o Moterey que vinha apenas na versão duas portas com uma capota revestida de vinil e um acabamento mais luxuoso.

????????????????????????????????????????????????

                                    Lindo exemplar do Monterey 1951 (photos.aaca.org).
                                   Jà que estamos falando de Mercury Monterey vou mostrar este exemplar de 1954, o Sun Valley cuja mais destacada característica era a capota parcialmente transparente. Um dos mais belos carros do ano. Veja nas  fotos  abaixo extraídas da internet.

Mercury 1954 Sun Valley Monterey

 1954%20Mercury%20Monterey%20Sun%20Valley%2074

                                   Outro carro belíssimo e completamente fora dos padrões estéticos da época foi o Studebaker Commander 1954 (foto www.motorstown.com).

studebaker-commander-02

                                         Os pequenos fabricantes americanos como Nash, Hudson, Packard, Studebaker sairam do mercado na década de 1950, mas até lá estavam ativos e apresentavam seus modelos todos os anos. A Nash em 1953 inovou e encomendou o desenho de seus carros ao mago do design Pinin Farina, mas não foi um bom casamento e o resultado foi terrível. Veja na foto abaixo retirada de www.flick.com  o Nash 1953 muito comum por aqui.

Nash 1953

                                     O Hudson era um carrão e no seu modelo Hornet tinha um senhor motor oito em linha que o tornava um foguetão. Foi um dos primeiros carros americanos a abandonar o sistema de chassis e carroceria sobreposta e adotar o sistema de monobloco hoje generalizado. Isto, porém, engessou a marca a um modelo difícil de alterar e a Hudson terminou seus dias desfigurada após uma fusão com a Nash em 1955 para formar a American Motors que durou mais alguns anos apenas. Na foto abaixo um modelo 1952 que, na essência, não diferia muito do de 1949 e do 1954.

1952_Hudson                          O rei absoluto era o Cadillac. Nenhum carro superava o Cadillac em termos de luxo, requinte, tecnologia e qualidade. O Rolls Royce era superior, sempre foi, mas sempre foi também carro de baixa produção e era muito raro aqui no Brasil, praticamente invisível no trânsito. Mercedes ainda se recuperava da guerra e recomeçava a conquistar sua fatia de mercado lentamente. Carro de luxo era Cadillac e pronto. Abaixo alguns exemplares da marca:

1951cadcvtgreeen-008

 Cadillac 1951 coupe de ville

 cadillac 1951 sedã

 cadillac 1951

                                   Na ordem cito a origem das fotos: www.dragers.com, www.memorylaneclassiccars.com, www.calustblog.com e www.enginerebuilders.org.

(continua no próximo post)

Anúncios
Esse post foi publicado em História. Bookmark o link permanente.

2 respostas para 1950 a 1957 – Parte I

  1. Cesar Silva disse:

    Carros maravilhosos. Meu teve um Ford 39, depois um Morris Oxford. Esse só dava problemas. Eu adorava o Mercury e achava o Nash Airflyte muito feio. Abç, Cesar

  2. Diogo Martin disse:

    Tive o prazer em dirigir vários carros, desses apresentados; fui proprietário de um Mércury ano 1951, 4 portas cor café/leite. Um carro maravilhoso, confortável, e muito forte. Parabens a quem idealizou esta amostragem.
    DM.`.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s